segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Primeiro dia de aula. Primeira lição: Hallo!!


Não tinha dormido muito bem, porque estava ansiosa, igual a criança esperando o primeiro dia de aula. Acordei as 7 da manha, estava nevando e completamente escuro. Se já e difícil acordar cedo no frio, imagina quando está tudo escuro?

Tenho que pegar dois ônibus para chegar no curso. O primeiro – linha 1 - passa a 200 metros da minha casa, pontualmente, de 15 em 15 minutos durante a semana. O ônibus chega na estação central (Banhhof) `as 8:03 e eu tenho exatos três minutos para achar a plataforma da linha 3 e fazer a troca. A viagem inteira não dura mais do que 35 minutos. Como nunca tinha feito esse caminho de ônibus resolvi pegar o de 7:40 h para dar uma sobra no tempo, em caso de me perder (o que é realmente impossível aqui).

Cheguei no ponto já sem sentir os dedos das mãos porque esqueci minhas luvas em casa, mas comecei a me sentir bem quando ouvi de longe o bom e velho português do Brasil e, melhor, falado por cariocas! Nada contra os outros sotaques, mas sou de Niterói e ouvir o “nosso” jeito de falar é confortante quando se está longe. Cheguei perto e eram três moleques do Rio, legítimos. Obvio que eu tive que mandar um: “Cariocas?” Os três abriram um sorriso e começamos a trocar impressões sobre a cidade, a Alemanha e o frio, tema recorrente entre brasileiros aqui. Pensei que tinha começado bem o dia.

O ônibus chegou pontualmente e a viagem foi tranquila. Antes de chegar na estação central perguntei em alemão para o motorista onde ficava a plataforma da linha três e o cara entendeu! Sai correndo pra lá e exatamente as 8:06 o ônibus – linha 3 - estava estacionando lá. Três vivas para a pontualidade no transporte coletivo alemão! Você pode mesmo programar o seu tempo para acordar e planejar o seu caminho pelo mapa de ônibus da cidade, que ele vai acontecer dentro do seu prazo.

Cheguei na escola VHS (Volkshochshule), que é uma escola pública de línguas para estrangeiros muito conhecida na Alemanha. Quase toda cidade tem uma. De cara achei a sala e ajudei o colega australiano a achar o caminho. UFA! Missão número um completa!

Chegou a professora, uma menina com cara de gente do bem, chamada Jennifer. É suíça e tem excelente didática. Aos poucos foram chegando os alunos, de todas as idades e todos com cara de interrogação, como eu, e, claro, todo mundo se sacando. Já vi que tinham duas russas e duas japonesas conversando em suas línguas pátrias.  Ouvi também inglês e turco (já tava demorando), mas nada sequer de espanhol e português e, agora, só agora, senti alivio, porque não queria brasileiros na turma, o que acabaria desviando o alemão para o português.

Começou a aula e eu vi a professora tirando da sacola telhadinhos coloridos e não acreditei... Telhadinho com 35 anos? Sim, tive que escrever meu nomezinho lá! Depois das apresentações em alemão, achei super legal que a turma é muito internacional. Vamos lá: uma senhora polonesa, dois russos e uma ucraniana, uma tailandesa, uma coreana, um australiano, duas americanas, uma canadense, três japoneses, uma menina da Macedônia (!), outra do Kenya e uma senhora turca.

Apesar de não ser nula em alemão achei que foi muita informação num dia só. Pronomes pessoais, artigos, verbos no infinitivo e conjugação no presente, nacionalidades, línguas, perguntas e respostas de saudação e localização e, para finalizar, números (todos) e operações de matemática.

Comentários iniciais: a) agradeci muito por estar na aula sozinha, sem conhecer ninguém, porque tive muita vontade de rir em diversas situações (especialmente com os japoneses) e se eu tivesse com mais alguém conhecido seria retirada da sala... (tipo minha amiga Nívea); b) a senhora turca fazia todas as contas dos números com três dígitos de cabeça e respondia o resultado em alemão perfeito antes de todo mundo; c) alguns alunos são bem mais lentos e vão dar trabalho para a professora; d) eu vou ter muito trabalho a fazer se quiser cumprir a minha meta de falar alemão em seis meses e (e) como sempre, já coloquei apelidos em todo mundo da sala : )  (herança dos meus irmãos que colavam e atualizavam diariamente uma lista de três  páginas com os MEUS apelidos na geladeira de casa).

Se continuar nesse ritmo o negócio vai ficar bom.



4 comentários:

Anônimo disse...

Muito legal, esse seu primeiro dia de aula, Lila! Que coisa bacana conhecr tanta gente diferente num mesmo lugar. Vai ser diversão garantida. Não tem coisa melhor do que conhecer lugares e gentes de outras partes do mundo.
Bjos,

Ana Raissa disse...

Sempre achei o máximo esses cursos onde há pessoas de países e culturas tão "diferentes" do nosso! Aproveite ao máximo esse intercâmbio (tanto ou até mais do que as aulas em si). beijos

Jaqueline disse...

Qdo fui à Autralia fazer curso de inglês tb amei não ter amigos brasileiros. Quase não falava português e isso foi muito importante. Boa sorte! E não deixe sua meta de lado, acho q com esforço e disciplina podemos aprender qq coisa (exceto continhas né? - Advogado e calculadora, uma dupla feliz). Bjs

Nivea disse...

Que maximo! Adorei!! Aprender outra lingua !! Boa sorte ai, 6 meses!!! Com certeza teriamos que sair da sala Lilian!! Bons tempos aqueles!!! bjs

Postar um comentário

Total de visualizações de página