quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

A primeira dura e na Alemanha, a gente nunca esquece!

Sábado passado foi aniversário de Lothar, amigo nosso, que mora perto de Stuttgart. Já tinha feito um trato com o Mirko de que ele poderia beber e eu voltaria dirigindo, porque não estava a fim de dormir lá. Aliás, um parênteses, aqui na Alemanha as festas nas casas das pessoas são pensadas com o day after, ou seja, leitos e café da manhã para todos, porque ninguém volta para casa dirigindo depois de beber. Se não for possível dormir todo mundo na sua casa, indica-se um hotel.

Um casal de amigos veio nos encontrar aqui em casa e depois seguimos para lá. Na ida o Mirko foi dirigindo. Chegamos lá às 21 horas, horário bem comum para início das festas aqui e mantive a minha promessa de só tomar dois copos de cerveja, o máximo aceitável pelo controle da polícia rodoviária. Bebi essas duas canecas super devagar, degustando, até porque a cerveja também era boa mesmo! Depois comi pizza caseira e outros engordas (dieta??) e parti para o suco de frutas o resto da noite, super docinho.

O resto da galera estava bebendo socialmente, menos eu, e é claro que mesmo com a conversa boa, chega uma hora que eu começo a me sentir fora do contexto, porque as vozes começam a ficar mais altas e, proporcionalmente, a música também, os papos começam a ficar nonsense e não tem como evitar o tédio. Falei para o Mirko que queria ir embora à uma da manhã. A parte boa de ser a motorista da rodada, entre eu e Mirko, é que faz parte do nosso pacto ter as decisões de ir embora ou ficar num evento acatadas pelo outro, mesmo que se demore uma hora para se despedir das pessoas...  : )

Confesso que estava meio tensa a noite inteira como fato de ter que voltar dirigindo de noite numa estrada que não conheço. Tudo bem, tudo bem, estamos falando das Autobahn alemãs, fantásticas de dirigir e o nosso carro é automático (super comum aqui), mas as placas são em alemão e eles têm muito mais sinais de trânsito do que nós, especialmente os de limite de velocidade e, por causa disso, têm mais pardais, então, a atenção tem que ser redobrada o tempo todo!

Quando deu a nossa (minha!) hora, fomos embora e voltamos ouvindo um CD super legal que pegamos na casa do Lothar. Os meninos ainda pegaram algumas long necks para o caminho de volta (para eles). Quando já estava totalmente relaxada, dirigindo na boa e ouvindo “Creep” do Radiohead, um clássico que eu amo, avistamos luzes de carros de polícia num entroncamento já pertinho de Tübingen. Pensamos que era acidente e reduzi quase a zero. Quando chegamos perto constatamos que não era acidente e sim, DU-RA! Lei Seca alemã!! Que delícia! Fiquei esperançosa ao ver que estavam parando o carro da frente e o Mirko disse: “Pega a direita, porque não vão te parar”, mas foi só ele acabar a frase, que o policial fez um sinal com a lanterninha para eu parar. Pimba! Fui pega na dura!

Numa fração de segundo pensei na minha linda licença internacional para dirigir indo embora, porque afinal das contas no início da noite eu tinha bebido duas cervejas... Mas aí ponderei que também não era big deal perder a licença, porque ela só é mesmo válida por seis meses e, numa onda de otimismo absurda, pensei que até gosto de andar de ônibus e poderia comprar uma bicicleta... kakakaka.

Pausa para um comentário sobre mim.... quem está me conhecendo agora vai perceber que faz parte da minha personalidade “fazer a Poliana” em situações tensas, mesmo que o meu sentimento otimista seja uma mentira deslavada dentro de mim! Mas, nesse caso, nem foi...

O policial, com o seu bigodinho à la Freddie Mercury pediu para abaixarmos o vidro e pediu meus documentos, obviamente falando alemão. Me desculpei em inglês, avisei que falava muito pouco alemão e expliquei que era brasileira, portanto, apresentaria minha licença internacional, acompanhada do meu passaporte.  Ele continuou falando alemão (fofo!) e pediu o documento do carro. Depois de ver que estava tudo certo, ele me perguntou, de novo em alemão (so sweet!), se eu tinha ingerido álcool. Essa eu entendi, mas fiz questão de responder em inglês para manter o jogo do gato e rato: Meeee??? Noooo!!!! Nothing!!! Só que, como não fiz curso de teatro e o chão do carro estava com três garrafas de cerveja vazias (e ele viu), acabou explicando, na maior educação, que queria se certificar de que eu não tinha bebido nada, porque tava na cara (e no cheiro) que o resto das pessoas no carro tinha.

Freddie me pediu para sair do carro e o acompanhar. Lá fui eu, com o Mirko à tiracolo de intérprete. Chegamos perto da viatura (um frio descomunal), eu estava super calma. Abri o pacotinho do canudo para o teste do bafômetro e espetei no aparelho.  Aí ele fez uma demonstração de como eu teria que soprar o aparelho e deu um sopro tão forte, que mais parecia o lobo mau tentando derrubar as casinhas dos três porquinhos, lembrei de Thomaz na hora e me deu vontade de rir... Bem, imitei o lobo mau e fiquei esperando a porrada da notícia. Mas aí eu vi um sorrisinho de canto de boca no Mirko, o teste tinha dado 0.0 de álcool!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O policial informou o resultado, agradeceu, pediu desculpas e desejou uma boa noite. Simples assim!

Até agora acho que o aparelho tava com defeito, porque tinha bebido duas cervejas e 0.0 foi muito bom! O Mirko disse que não iam colocar um aparelho quebrado na dura e que não deu nada, porque eu comi e bebi suco depois a noite toda.  

O mais engraçado é que nunca fui parada na Lei Seca no Brasil. Tinha que ser logo aqui e bem no início, só prá eu sentir que o negócio aqui não é brinquedo não (Dona Jura!)... 

Mas, gente, o que importa mesmo foi que eu “A-HA-ZEI NO BAPHÔMETRO” !

HAHHAHAHHAHAHHA!

Beijos!

6 comentários:

Bety disse...

Adorei Lilian!!!! Eu fui parada aqui uma vez com barriga de 7 meses, o policial olhou para a minha cara, olhou para a barriga e eu disse, eu tenho preferência na fila (tinha maior galera parada) ou vc realmente acha que eu bebi???? Hahahaha, lógico que ele mandou eu ir embora...
Adorei, virei fã...
Bjs lindona com o maior sorriso que eu já vi :-)

Ana Raissa disse...

KAKAKAKAK! MUito bom!

Ana Paula Freitas disse...

Estou amando "viajar" com vc!!!!
Beijos e saudades

Norma disse...

minha fofa!!! sabia não que vc (des) escrevia tão bem! aliás, uma surpresinha um tanto quanto acanhada porque, do que me lembro das nossas peripécias dançantes, só podia reencontrá-la assim, linda, eloquente, leve e loirissima!!!(kkkkk). adorei e agora, como a ana paula ai acima de moi, vou viajar com vc, desejando que o universo continue conspirando a seu favor e, logicamente a favor do mirko também. ah, espero conhecê-lo um dia! bjs grandes e muita sorte!!!

Anônimo disse...

Caraca... Fiquei bolada com esse post. Li as linhas na maior tensão, só relaxei no finalzinho. Ufa! Arrasou!
Bjos,

SANNY disse...

HAHAHAHHAHAHA...SENSACIONAL!!!

Postar um comentário

Total de visualizações de página